Correr, o mais natural dos movimentos humanos

1282
Correr

Por Blas Chamorro.

Parece que nos últimos tempos tem surgido a moda do running como prática esportiva, ao ponto de que as corridas populares, meia-maratonas, maratonas e triatlons aumentaram de maneira exponencial, assim como seu número de participantes.

Todo mundo, tanto profissionais de esporte e saúde quanto a população geral, valoriza de maneira muito positiva os encontros de sair para correr, e o número de corredores cresce a cada dia. Parece evidente que correr nos aproxima de altos valores de saúde e bem-estar por conta de todos os benefícios que isso traz para o bom funcionamento de todos os sistemas envolvidos.

Por outro lado, os últimos estudos científicos a respeito revelam dados sobre os quais deveríamos parar para refletir. Em 2010, a Revista Nature publicou uma pesquisa na qual muitos especialistas do universo “barefoot” se basearam e que tem dado suporte para o desenvolvimento de numerosos artigos que demonstram existir uma maneira “natural” de correr, muito mais segura e eficiente que a utilizada pela maior parte dos corredores atuais, incluindo aqui os corredores de elite.

Entre as descobertas feitas por esses estudos, chama atenção a maneira como se estabelece uma estatística que diz que 75% dos corredores habituais se lesiona todo ano.

Fazendo uma reflexão antropológica desses dados, poderíamos dizer que isso seria o equivalente a se 75% das baleias se lesionasse a cada ano por nadar, ou que a mesma porcentagem de águias se lesionasse por voar. Essa conclusão tem uma base na biologia evolutiva: somos “homo sapiens” e nossa filogenética (o que é constante no ser humano) nos diz que existem 5 características que nunca mudarão apenas por mudar, o poder dos milhões de anos de evolução nos dota de características irremovíveis: Somos primatas, bípedes, temos o corpo nu (com pouca quantidade de pelo), somos corredores de resistência e caçadores (homens) – coletores (mulheres).

Portanto, se correr é algo para o qual estamos tão bem projetados e que nos lesionamos tanto ao fazer, esse é um ponto, sem dúvida, a se pensar.

CORRER É UMA HABILIDADE

Para sermos corredores eficientes precisamos de uma técnica eficiente, esta é a chave. Uma técnica adequada de corrida nos fará ter um equilíbrio perfeito das forças internas (do corpo) e das externas (gravidade e forças reativas do solo). Nesse ponto, as forças internas funcionam de maneira adequada se aproveitarmos ao máximo as forças elásticas do corpo (principalmente os tendões), minimizando o gasto metabólico e o risco de lesões habituais de corrida. Um tendão pré-carregado por músculatura adequada nos dará energia “gratuitamente” (sem gasto metabólico). Esses são os princípios básicos da biomecânica da corrida.

O running recreativo nos levou a uma forma de correr que usa mais a força do músculo do que dos elementos corporais elásticos. Essa forma é o cooper porém, na realidade, é uma modalidade inventada que nada tem a ver com ser uma atividade funcional e que nos impõe uma mecânica pouco segura para nossos músculos e articulações.

Para reprogramar nossa forma de correr precisamos de algumas habilidades “básicas” mínimas para poder executar a corrida de maneira correta. Em grande parte dos casos, perdemos essas habilidades por conta do estilo de vida moderno e dos sapatos atuais que não permitem que nossos pés atuem da maneira para a qual estão projetados.

  • Você é do tipo que passa mais de oito horas sentado na frente do computador no trabalho?

  • Você caminha todos os dias em meio a um amontoado de gente que não te permite andar de forma relaxada e natural?

  • Você sente desconfortos quando corre que, em algum momento, te obrigam a reduzir o ritmo ou parar?

  • Você tem sobrecargas e/ou contrações musculares que atribui a seu treinamento ou a “más posturas”?

  • É difícil se abaixar para pegar coisas ou para passar um tempo no chão brincando com seus filhos?

É certo que muitos de nós balançamos afirmativamente a cabeça para algumas ou todas essas perguntas. Andar, correr, saltar, agachar, levantar, apanhar e mover coisas são habilidades que nós, seres humanos, possuímos e estamos aptos a realizar. Devemos recuperar as formas eficazes dessas habilidades tão naturais que temos em nosso cérebro primitivo, nosso cérebro subconsciente. Recuperá-las para sermos novamente “homo sapiens” competentes é também o trabalho de treinadores, instrutores e professores de Pilates. Primeiro é preciso treinar como seres humanos para depois treinar como atletas.

O Mantra proposto por Lee Saxby, criador de um sistema de ensino da habilidade de correr, nos resume o que necessitamos para sermos corredores melhores:

“Postura, rítmo, relaxamento. Podemos observar com atenção todas as três palavras e seus significados, em sua melhor expressão, nos melhores atletas de corrida.”

1 COMENTÁRIO

  1. Maravilhoso texto Blas, super indico a todos que queiram começar a pensar em sua saúde e qualidade de vida! Com clareza e habilidade nos conduz a uma reflexão importantíssima.
    Grata, Tati Chitão

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.