Envelhecendo no estúdio de Pilates – Parte II

1408

Será que realmente sabemos o que é envelhecer?

No texto anterior (clique aqui), comecei a falar um pouco sobre os idosos nos studios de Pilates. Após vermos como fazermos uma avaliação, daremos sequência para sabermos como trabalhar melhor com esses alunos.

E agora, como faço para planejar minhas sessões de Pilates?

Para a prescrição dos movimentos lembre-se:

1. Estimular um bom padrão respiratório é essencial em qualquer fase da nossa vida e para os idosos isso pode ser ainda mais importante. Com o envelhecimento, podemos perder tanto a mobilidade de nossa caixa torácica quanto a força dos músculos do tronco, inclusive os respiratórios. Inicialmente, procure estimular a expansibilidade torácica tridimensionalmente (céfalo-caudal, látero-lateral e anteroposterior), estimule a inspiração em 4 tempos e expiração em 6 tempos, estimulando a máxima ação do diafragma. Ensine seu cliente a contrair os músculos do assoalho pélvico toda vez que expirar. Faça exercícios de fortalecimento isolado de assoalho pélvico para melhorar a percepção do cliente (a incontinência urinária pode ser frequente em idosos, se este for o caso de seu cliente, oriente que ele procure um fisioterapeuta especializado nesta área). Na sequência, ensine o adequado acionamento do músculo transverso do abdômen e então, os músculos multífidos. Ensinar nossos clientes a perceberem e acionarem os músculos profundos do tronco é indispensável para melhorar o controle neuromotor do tronco e até mesmo melhorar a ação dos músculos dos membros para alcance ou locomoção.

2. Aumentar a força muscular de tronco e dos membros inferiores pode ser essencial para a manutenção da capacidade funcional do idoso, todos os Footworks são super indicados e devem ser feitos com o máximo de carga possível para realmente conseguirmos melhorar a força muscular. Já levou seu cliente para fazer Front Balance na Chair? Este movimento pode ajudá-lo muito a melhorar a força de quadríceps! Para o fortalecimento do tronco, procure escolher os movimentos que trabalham sem flexionar o tronco, um Arm Series (com 1 mola média ou leve) com as pernas em table top no Reformer já é um estímulo e tanto para o tronco. Os movimentos realizados em posição de 4 apoios, prancha, ajoelhados, associados ou não a movimentos dos braços, também estimulam este controle do tronco.

3. Se o idoso tiver osteoporose é contraindicado que realize movimentos de flexão anterior ou lateral de tronco (Hundred, Mermaid, Side bend, Pull-up na Chair, Roll back com flexão de tronco no Cadillac são alguns exemplos de movimentos proibidos!);

4. Capriche nos movimentos de extensão de tronco e de quadril! Squats, Swan, Swimming (mat ou nos equipamentos) são excelentes opções.

5. Geralmente, os idosos são resistentes a ficar muito tempo em pé, sentado sem apoio ou em decúbito dorsal, desafie-se e procure estimulá-lo em movimentos nestas posições o máximo do tempo, evite deixá-lo em decúbito dorsal.

6. Inclua movimentos que desafiam o equilíbrio: exercícios em uma perna só ou em superfícies móveis (por ex: Leg Push Down na Chair, Standing arms em apoio unipodal no Cadillac, Side Splits no Reformer).

Será que é possível identificar as alterações fisiológicas que podem ser prejudiciais aos idosos dentro do estúdio de Pilates?

Sim! Lembre-se que, provavelmente, somos o profissional da saúde que nosso cliente tem o contato mais regular e isso se dá semanalmente, então, quem melhor que nós para identificarmos precocemente estas alterações?

Garantir que as alterações fisiológicas mais comuns como, por exemplo, reduções na massa e força musculares, déficits de equilíbrio, mobilidade e da capacidade aeróbia, sejam adequadamente diagnosticadas é de fundamental importância pois contribuem para a diminuição do desempenho físico-funcional e aumento da dependência dos idosos.
Algumas perguntas para devemos nos fazer diariamente em relação aos nossos clientes idosos:

1. Está emagrecendo sem causa aparente?
2. Está relatando mais fadiga (como por exemplo, começa a pedir para terminar a sessão mais cedo…)?
3. Está caminhando mais lentamente? (observamos isso durante a entrada de seu cliente no estúdio)
4. Está comentando que está sem energia para as tarefas do dia a dia? (cliente comenta que tem ficado muito tempo sentado ou deitado, que não ajuda mais em tarefas domésticas devido a indisposição).

Estes pontos podem indicar que o idoso está iniciando um processo patológico chamado de fragilidade, uma condição clínica que o predispõe a consequências indesejadas como doenças sistêmicas, quedas ou até mesmo a morte. Geralmente, é resultando da combinação da sarcopenia (diminuição de força e/ou função muscular), desregulação endócrina e disfunção imunológica.

Assim, se você identificar estes fatores de risco, peça para que seu cliente agende com o médico geriatra de confiança para identificar as causas e prevenir consequências mais graves.

Roberta Bueno

Graduada em Fisioterapia pela UFSCar (2001);
Especialista em Fisioterapia Aplicada à Neurologia Infantil – UNICAMP (2002);
MBA em Gestão Empresarial (FGV);
Mestranda no Programa de Gerontologia da EACH-USP;
Sócia-proprietária e instrutora dos métodos Pilates e Gyrotonic
® na Ekiness – Saúde e Movimento (São José dos Campos – SP)
Certificada no método Pilates pelo Physicalmnd Institute®/DeMarkondes Pilates® em Pilates Matwork, Apparatus, Standing Pilates, Rehab, Tye Workout, Bolas&Rolos e DeMarkondes Induction;
Certificada nos métodos Gyrotonic e Gyrokinesis sendo pré-treinadoras dos mesmos por mais de 5 anos;
Formação em Estabilização segmentar e Liberaçao Miofascial;
Trainer e Assistent Trainer dos cursos de certificação DeMarkondes
Pilates® desde 2007.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui