Movimentos que não podem faltar em nossas aulas de Pilates

1806

Agradecimentos pela participação: Rosa Freitas, Marina Miranda e Nataly Santos

Baseado na condição física e “mental” do aluno no momento que ele vem para a aula de Pilates, seja ela de Mat, Reformer, Cadillac, Chair entre outros, adotamos pequenos movimentos para mover o corpo inicialmente.

Claro que a intenção não é colocar regras para a aula de outras pessoas e sim expor minha visão desde que iniciei meu trabalho com o Método Pilates. No inicio as poucas pessoas que estavam envolvidas com método não sabiam me responder muito bem como deveria começar a prática de uma aula de Pilates, haviam sempre muitas dúvidas e como não tinha acesso à nenhuma literatura e com poucos parâmetros para me basear, meu ponto de partida foi pensar como profissional de Educação física, onde temos que estruturar a aula com parte inicial, parte principal e parte final, ou seja:

1ª Parte: consiste em preparar o corpo de maneira geral para o trabalho a seguir => Aquecimento;

2ª Parte: consiste no conteúdo principal da aula com exercícios específicos, mais avançados, desafiadores, que exigem mais força, coordenação motora, mais concentração, conhecimento, consciência corporal;

3ª Parte: consiste na volta a calma, alongamentos e relaxamento.

De acordo com a experiência adquirida ao longo desses anos, percebi que nem sempre conseguimos saber com antecedência como as pessoas estão fisicamente até começarem a se mover, quando apresentam uma dor aqui, outra ali, mesmo que leve, ou até preocupações e ansiedades que os afligem pode influenciar na prática.

Portanto, a proposta da aula é amenizar e ou melhorar qualquer tipo de desconforto inicial proporcionando segurança e sensação de harmonia e leveza da cabeça aos pés.

Partindo dessa primícia desenvolvi um modelo de aula na qual, devemos iniciar com exercícios de mobilizações articulares gerais, trabalhar musculaturas estabilizadoras, dissociar MMSS e MMII, coordenação motora, descarga de peso e força. Também procuramos adotar todos os decúbitos e se possível ainda encaixar nessa parte da aula acessórios como toning balls, over ball, magic circle, foam roller entre outros, para facilitar a organização do corpo e ou oferecer assistência ou resistência no decorrer dos movimentos.

No entanto, não devemos nos esquecer que tudo é realizado e aplicado com cautela, sendo modificado ou adaptado à condição física específica de cada um, se ele pode ou não fazer esse ou aquele movimento como ele pode fazer, se é que pode.

Tive experiência com várias escolas que ensinam o método Pilates e procurei fazer bom uso do que aprendi em cada uma, e é essa fórmula que eu e minha equipe de professores adotamos e vem dando certo nos trazendo bons resultados e o mais importante a satisfação e bem estar do aluno.

A seguir tem um vídeo que mostra um pouco do que descrevi acima.

Agradeço à todos e estarei à disposição.

 

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.