Pilates contra a obesidade

O Método Pilates pode auxiliar no controle e na diminuição do peso corporal

2763

Por Maria Militão.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 56% da população sofre com excesso de peso e 13% dela está obesa no Brasil. Ou seja, mais da metade da população brasileira está acima do peso.

O Pilates pode ajudar nesta causa, pois quem o pratica também queima calorias. Em uma aula iniciante, a média de gasto calórico do praticante é de quase 200 calorias, segundo estudo publicado na Revista Científica ENAF. Numa aula mais avançada, o praticante pode gastar até 500 calorias.

Claro que não é somente este o foco do método, visto que ele auxilia de diversas maneiras: diminui a ansiedade, causando um maior controle sobre a reeducação alimentar; aumenta a autoestima, proporcionando ao praticante mais vontade de cuidar de si mesmo; aumenta o percentual de massa magra e consequentemente o praticante gasta mais calorias mesmo em repouso; protege as articulações para o exercício aeróbico mais intenso; proporciona mais disposição, relaxamento e concentração para outras atividades de vida diária.

Sabemos que a obesidade não interfere apenas na estética, mas na saúde geral do indivíduo. A obesidade e o sedentarismo são fatores de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas. Para que esse indivíduo tenha sucesso na busca por uma vida melhor, ele deve associar a prática de Pilates com reeducação alimentar e atividade aeróbica, como caminhada, natação, corrida, bicicleta. Para realizar estes exercícios, é importante que sua musculatura e articulações estejam preparadas e é aí que entra o Pilates, arrumando o corpo para uma nova fase mais saudável.

Inicialmente, é importante trabalhar a consciência corporal, onde o aluno irá redescobrir seu próprio corpo; identificar pontos fortes e fracos e encontrar seu equilíbrio; possibilitar o fortalecimento global, principalmente dos músculos que auxiliam na manutenção de uma boa postura, como abdominais e paravertebrais; alongar; estimular a mobilidade articular; além de realizar alinhamento postural.

Desta forma, com o decorrer das aulas, o aluno vai percebendo as mudanças de hábito e comprovando os benefícios do método em sua rotina, desenvolvendo o prazer pela atividade física e compromisso com seu bem estar e qualidade de vida.

O Pilates, sem dúvida, veio para ficar e auxiliar a população brasileira na busca por um estilo de vida mais saudável. Portanto, ninguém deve ficar de fora de uma boa aula. É só se divertir e aproveitar os benefícios do método, desde que, sempre acompanhado de um profissional altamente competente e habilitado.

 

 

Referências:
Baptista, B.V.R. e Paiva Neto, A. A Intensidade de uma aula de Pilates. Revista ENAF Science Volume 8, número 4, Outubro de 2013.
Cakmakçi, O. The effect of 8 week pilates exercise on body composition in obese women.. Revista Coll Antropol (dezembro 2011).
http://www.brasil.gov.br/ (2015).
Marin, F.M Efeitos do treinamento de pilates sobre a capacidade funcional e qualidade de vida em indivíduos saudáveis. Florianópolis, 2007.

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.