Você sabe o que é a Síndrome do Piriforme?

3015

Por: Bianca Dore

Entenda como o Pilates pode ajudar a tratar ou a prevenir o problema

Muito comum em esportes que envolvem corrida, mudanças de direção ou descarga de peso excessiva, a Síndrome do Piriforme é uma das principais causas da dor na região glútea, provocada pela irritação no nervo ciático, decorrente do aumento da tensão ou espasmo do músculo piriforme.

Quem sofre com a síndrome costuma relatar a presença de dores profundas, que provocam a sensação de queimaduras na região glútea que, normalmente, descem pela perna. Os sintomas são potencializados ao caminhar, correr, rotar ou abrir a perna lateralmente.

O histórico e o exame clínico são fundamentais para o diagnóstico adequado. Exames de imagem podem ser úteis para a confirmação diagnóstica. O tratamento pode exigir medicamentos, repouso e até cirurgias, nos casos mais graves e que não apresentam melhora a partir das indicações clínicas.
Grande aliado no tratamento, o Pilates pode agir tanto na prevenção como na reabilitação da síndrome.

A prevenção pode ser feita por meio de um programa de exercícios individualizados que envolvem, sobretudo, alongamento dos músculos glúteos, rotadores internos e externos do quadril, mobilização do quadril e dos membros inferiores.

O Pilates ajuda a recuperar os movimentos, a força e a flexibilidade dos membros inferiores. Exercícios de transferência que simulam o caminhar, o trote, a corrida, mudanças de direções e saltos permitem o retorno ao esporte e às atividades da vida diária de forma segura e efetiva.

Preparamos uma série de exercícios que podem ser realizados em qualquer lugar para que a integridade do piriforme e músculos associados seja mantida.

Fotos 1 e 2 – Adaptação do Leg Stretch Séries do Barril

image1 image2

 

Posição do corpo: Apoie uma perna estendida ou flexionada sobre uma superfície estável. Procure manter o quadril alinhado.

Movimento: Mantenha-se na posição por alguns segundos e troque de perna. Incline o tronco para frente para aumentar o alongamento.

Objetivo: Alongar musculatura posterior da perna e glúteo.

Fotos 3 e 4 – Bridging

image3 image4

 

Posição do corpo: Mantenha os pés apoiados no chão com joelhos dobrados e coluna reta.

Movimento: Expire para elevar o quadril até formar uma linha reta do joelho ao peito. Inspire parado nessa posição e expire para retornar ao chão.

Objetivo: Fortalecer a musculatura extensora do quadril e do glúteo.

Fotos 5 e 6 – Bent Knee Opening

image5 image6

 

Posição do corpo: Deitado, eleve as pernas e mantenha uma posição de 90 graus para quadril e joelhos.

Movimento: Inspire para deixar as pernas abrirem controladamente e expire para trazê-las de volta à posição inicial. Mantenha a coluna parada. Este exercício também pode ser feito com os pés no chão.

Objetivo: Iniciar o trabalho da musculatura do core (centro) e o trabalho da musculatura interna e externa da perna.

Fotos 7 e 8 – Side Kick

image7 image8

 

Posição do corpo: Deite-se de lado, com a perna inferior dobrada e a de cima esticada na linha do corpo. Mantenha a coluna reta.

Movimento: Inspire trazendo a perna superior para frente e expire levando para trás. Durante todo o percurso da perna mantenha coluna e quadril parados.

Objetivo: Trabalhar a musculatura do tronco por completo para se manter equilibrado e também a musculatura lateral, anterior e posterior da perna.

Deixe um comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.